Vozes Paratienses: a poesia em cor, letra e forma

Uma cultura é avaliada no tempo e se insere no processo histórico, não só pela diversidade dos elementos que a constituem ou pela qualidade de representações que dela emergem, mas, sobretudo, por sua continuidade

Aloisio Guimarães 

                                                                                 

 A Letterpress Brasil, em sintonia com os movimentos artísticos que fazem parte de sua essência, idealizou, em conjunto com a Secretaria de Cultura de Paraty, a exposição “Vozes Paratienses: a poesia em cor, letra e forma”, que traz criações de artistas locais. Foi realizada durante o período da Flip – Festa Literária Internacional de Paraty e ficará aberta à visitação até o final de agosto na sala Natalino Silva. Vale a visita!

 

Paraty vive um importante momento em vista de seu reconhecimento junto à UNESCO como patrimônio cultural mundial, pela sua cultura e biodiversidade. Trata-se de uma devida percepção quanto aos traços singulares de sua rica, ativa e contínua cultura. Suas inúmeras formas de representação são fomentadas por todos que ali vivem, participam e, principalmente, constituem-se como agentes autênticos dessa dinâmica cultural. Nesse cenário, os artistas paratienses exercem fundamental papel para a constituição identitária de Paraty, para a tradução de toda a riqueza local e compartilhamento destes valores para o mundo.

Partindo dessa premissa, a Casa da Cultura de Paraty reconhece o valor de seus artistas e abre essa oportunidade em seu espaço, viabilizando uma ação artística coletiva reunindo poesia, pintura (aquarela), origami, impressão tipográfica, gravura e encadernação. A exposição remonta um espaço lúdico, de interatividade entre o público e os artistas, com um projeto expográfico (concebido pelo grupo de artistas) e uma programação de atividades e workshops que foi oferecida durante a Flip.

 

 

Fotos: Oswaldo Ando | @ozzieando

 

A proposta do projeto é coordenada pelo artista gráfico Marcos Mello, sócio e letterpress printer na Letterpress Brasil e por Patrícia Gibrail, artista de Paraty.

Atuam como principais apoiadores dessa ação, junto com a Letterpress Brasil, a Fedrigoni Brasil Papéis e Moinho Brasil – Papéis Artesanais.

Curadoria: Marcos Mello e Patrícia Gibrail | Projeto expográfico: Marcos Mello | concepção, projeto e produção: Luy Albino. Agradecimento especial a Cristina Maseda, Secretária Municipal de Cultura de Paraty e Luy Albino, nosso elo com todo esse lindo projeto!

 

 

Sem comentários

Publique um comentário

Atendimento via WhatsApp